quinta-feira, 2 de setembro de 2010

BÁLSAMOS

Quero um bálsamo para me livrar de uma dor que não é minha, mas me atinge. Bálsamo com cheiro de perfume de criança e gosto de uva verde, como eu sou: ácida e doce. Faço de conta que não é comigo. Brinco de esconde-esconde com minha realidade e influências. Não tem jeito. A regra do jogo diz que no final da brincadeira, todos aparecem, se mostram. E agora? O que fazer? Continuar a brincadeira ou crescer sem perder “la ternura”? Pode ser os dois????? Não consigo me dicotomizar. Gozo em ser toda, em ser completa com minhas falhas. Gelo na barriga ao pensar. Mas no momento, preciso encontrar meu sono. Ter um sonho lindo cheio de sensações, com materiais oníricos repletos de um futuro próximo. Vontades. Muitas vontades. E o que mais gosto de fazer na vida??? Dar risadas e devanear... larará!!!
(T.)

Um comentário:

Thya disse...

Thaysa, maravilhoso textoooo!!! me vi nele!! VIVER ULTRAPASSA TODOS OS LIMITES! BJAOOO